Vacina contra o cancro Teste realizado em ratos curou 97% dos tumores

0

A vacina não registou efeitos secundários dolorosos e eliminou a necessidade de realização de tratamentos de quimioterapia nos roedores. Poderá estar disponível já no próximo ano.

A comunidade médica crê que a vacina possa vir a ser testada em pacientes com linfoma, ainda durante este ano.

Acredita-se que os pacientes que venham a receber a vacina, não venham a necessitar de recorrer a intervenções de quimioterapia, e que os efeitos secundários se resumam apenas a sintomas febris.

Esta imunização deverá funcionar ativando o sistema imunitário para o combate de ataques tumorais. Espera-se que seja eficaz no tratamento de linfomas, que afetam células específicas no sangue e que o organismo consegue detetar, ao contrário de outros tipos de cancro, como o do intestino, que passam ‘despercebidos’.




O estudo

A vacina vai ser testada em humanos em dois estudos diferentes. Ao todo vão participar nos ensaios clínicos 35 pacientes com linfoma. Cada um irá receber uma dose baixa de radiação, juntamente com duas doses da vacina ao longo de seis semanas.

O líder do projeto, o médico Ronald Levy, da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, disse: “O cancro é um problema crescente e cada vez mais fatal. Não vamos descansar enquanto não encontrarmos soluções para a sua resolução”.

Mais detalhes, incluindo o espaçamento da toma das duas vacinas, ainda não foram divulgados.

Curou cancro nos ratos

Os investigadores implantaram dois tumores idênticos em partes diferentes nos corpos dos roedores.

Um desses tumores foi injetado com a vacina, que ativou a produção de células T. Células essas que lançaram uma resposta imunitária contra substâncias invasoras, vírus e bactérias, nos corpos dos animais.

O índice de resposta foi medido pela incidência do efeito da vacina no tumor não tratado.

Os resultados sugeriram que a vacina cura múltiplos casos de cancro e que é ainda capaz de prevenir recaídas.

Os resultados inéditos foram publicados no periódico científico Science Translational Medicine.

Noticias ao minuto

você pode gostar também Mais do autor